Quem Somos

 
PROBRANCA - Associação para o Desenvolvimento Sócio-Cultural da Branca

Instituição Particular de Solidariedade Social

Constituída em 21 de Fevereiro de 1987
Pessoa Colectiva de Utilidade Pública
Registada na Direcção-Geral da Segurança Social em 29.03.1990

 

A Probranca é já, hoje em dia, uma instituição com peso específico na comunidade da Branca e reconhecida como socialmente relevante a área do Município de Albergaria-a-Velha.

 

Emprega mais de meia centena de colaboradores, movimenta centenas de milhares de euros, assiste cerca de 150 pessoas e famílias e tem um papel insubstituível no apoio aos mais carenciados.

 

Não tem parado de crescer e os seus dirigentes alimentam a esperança de que continue a ser um pilar da solidariedade social na nossa comunidade.

 

A Probranca foi constituída há vinte e dois anos, com a missão principal de servir as pessoas da Branca e de apoiar a Autarquia Local, nos projectos estratégicos de desenvolvimento da Freguesia, e as Associações, já constituídas, na concretização das suas principais aspirações.

 

Decorridos estes primeiros anos da sua existência perguntamos: cumpriu ela o que se propôs?

 

Uns dirão que sim, outros que não e outros, ainda, que talvez, em parte.

 

Como responsável pela direcção, desde o seu início, olhando para o que era então a Branca e as suas gentes, e para o que são hoje, digo simplesmente: valeu a pena!

 

Do ponto de vista cultural temos uma Escola EB 2 3, um Centro Cultural e um Pavilhão Gimno-Desportivo (com infra-estruturas de qualidade), um Conservatório, uma Escola de Música, uma nova Unidade de Saúde e uma Piscina.

 

Do ponto de vista social temos associações que garantem o apoio às famílias e às pessoas de todas as idades (Probranca, Centro Social Paroquial e APPACDM).

 

O nosso trabalho foi sobretudo o de: CONGREGAR vontades, VER as realidades sociais e culturais (os problemas, as forças e fraquezas, as carências e as potencialidades), REFLECTIR com profundidade sobre essas mesmas realidades e ACTUAR, com determinação, na busca do bem comum.

 

Olhando para trás, para traçar o caminho futuro, só vemos um sentido: fazer mais e melhor.

 

O objectivo está delineado. A sua concretização dependerá, sempre, de nós, dirigentes, associados, voluntários, utentes e colaboradores. Em conjunto seremos capazes de vencer as dificuldades e obstáculos.

 

Contemos, todos, uns com os outros.

 

Flausino Silva